NEM QUE CHOVA


Estremece meu RAP batendo forte nos graves
Os moleques faz careta na batida ó que viagem
O Rap invade atravessa até grade
Mesmo com todo seu boicote ele bate na nave
Em dez em dez decibéis batendo no pé do ouvido
É isso que respiro  tio é disso que eu preciso
Um gravão pesadão batendo no salão
Mais junto na batida sempre uma boa canção
Enlouquece quem deve, espanta os pé de breque
Estilo de vida compadre, embalo não serve
Nem vem pagar de pá desmerecendo o machado
A picadeira vai cobrar e vai furar seu "ram"
Já tentaram parar sucumbir silenciar
Enquanto houver injustiça o RAP sempre vai estar
Pregando, militando, gingando ou em letras de sopa
PROJETO MOPRI vai estar ai nem que chova

E nem que chova na selva da garoa
O RAP bom ecoa salvando na encolha
E nem que chova na selva da garoa                                    Refrão
O RAP bom ecoa salvando na encolha
E nem que chova, garoa, ecoa, encolha
E nem que chova, garoa, ecoa, encolha


O Rap salva mais, muito mais do que imagina
Alimenta sua alma e positiva a alto estima
Até os bicos que passava pasta quente no cabelo
Sente orgulho do black que reflete no espelho
Vai vendo, não é questão de  estética, ou menos vaidade
Mais é bom olhar pra si e dizer sou homem de verdade
Isso que faz o Rap traz a paz pros moleque
Saber da sua origem muito mais que merece
Não pede atravessa a fronteira, Bate mais que lavadeira
Quantos tentaram parar? Ele Quebra Barreiras
Manifesto Popular pra quem precisa falar
Quanto Mais Longe Chegar, mais vidas irá salvar
Abdicar Jamais o rap tem a missão
O que você quer eu quero é mais trago no coração
Suspiros e respiros todo dia nessa porra, rima vem de quilo, é aquilo
Nem que Chova

E nem que chova na selva da garoa
O RAP bom ecoa salvando na encolha
E nem que chova na selva da garoa                                    Refrão
O RAP bom ecoa salvando na encolha
E nem que chova, garoa, ecoa, encolha

E nem que chova, garoa, ecoa, encolha

Nenhum comentário:

Postar um comentário